fbpx

Entenda a diferença entre Mastopexia e Mamoplastia Redutora

  • 12 de junho de 2020

Quando se fala de cirurgias plásticas realizadas na região das mamas, há duas que se destacam: a mastopexia e a mamoplastia.


O objetivo desse artigo é permitir que você conheça melhor os dois procedimentos e saiba em qual situação é indicado cada um deles.
Quer saber tudo sobre o assunto? Então não deixe de acompanhar esse texto até o final.

O que é a mastopexia? A mastopexia, que também pode ser conhecida como lifting de mamas, é um procedimento cirúrgico que tem o objetivo de reposicionar as aréolas.


Ou seja, elas são realizadas para mulheres que sofrem com mamas com ptose, que são as famosas mamas caídas ou mesmo aquelas que possuem flacidez pelo excesso de pele.


Ao contrário do que se possa imaginar, esse tipo de procedimento cirúrgico não aumenta ou reduz o tamanho das mamas, mas foca em reverter o processo de caimento dos seios e reposicionar as aréolas, levando os seios à posição original.


Esse procedimento é indicado, portanto, para mulheres que desejam realizar a correção das mamas flácidas e caídas, ou ainda em situações em que a pele perde elasticidade, como no caso de mudanças no peso ou do envelhecimento.

Agora que você viu e compreendeu o que é a mastopexia, é hora de falar um pouco mais a respeito da mamoplastia redutora.

O que é a mamoplastia redutora? É a cirurgia plástica das mamas, podendo ela ser tanto para aumentar os seis ou reduzi-los, que é o tipo que será tratado nesse texto.


A mamoplastia redutora é aquela cirurgia realizada com o intuito de se reduzir o tamanho das mamas, quando elas apresentam tamanho e peso acima das características do tórax.


Para aquelas mulheres que possuem seios grandes, que não estão em conformidade com as características anatômicas da região torácica, esse tipo de plástica pode ser muito benéfica.


Além da questão da estética, que costuma incomodar muito, o próprio peso dos seios pode vir a causar problemas na coluna por conta do esforço para sustenta-los.


Há alguns critérios que são levados em conta pelo cirurgião para saber quanto de tecido mamário irá ser retirado na plástica da mamoplastia redutora.


Entre eles, estão a dimensão do tórax da paciente, o grau de hipertrofia mamária (ou seja, o tamanho dos seios), e ainda a questão da própria satisfação pessoal.


A redução das mamas, que pode ser realizada por meio de diferentes técnicas, normalmente é feita pela retirada em excesso do tecido mamário e pele da região. Após isso, é realizado o remodelamento da mama.

Neste texto, mostrei a você o que é a mamoplastia redutora e qual a diferença dela para a mastopexia, que é o levantamento das mamas caídas com a remodelação das aréolas.


Lembre-se que é  importante realizar qualquer desses procedimentos cirúrgicos com um cirurgião plástico qualificado e registrado, para garantir bons resultados.  


Gostou do artigo de hoje? Se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, escreva-a abaixo nos comentários que irei ajudá-lo.

Compartilhe

Talvez você se interesse por: